Quando desço fundo

Você me fez descer tão fundo que precisei prender minha respiração por tempo demais. Agora todo esse sentimento tem me feito morrer afogado. Sufocado eu ainda sei nadar, mas não tenho mais oxigênio para voltar à superfície. Talvez eu prefira assim, lá em cima tudo andava chato demais, sério demais, triste demais, sem emoção demais.

Fui mais longe que devia por você e agora não posso voltar, assim continuo me deixando levar para onde a luz não alcança – é ali que você está, certo?
Você atiçou minha paixão por toda noite, um sentimento que fiz questão de deixar adormecido por causa de saltos mal elaborados entregue a corpos errados, só para que eu tivesse de esquecer pela manhã como um sonho que se desfaz de minha memória assim que abro os olhos.
Estou indo embora agora, será que eu poderia voltar a noite? Quero a chance de encontrar aquele sonho novamente. Quero voltar a dormir.

Tudo bem, você deve está ocupada. Esse seria o único motivo para ignorar minhas mensagens.
Você precisa de espaço? Meus pensamentos me culpam por ter te dado o direito de entrar em meu coração e me bagunçar assim como fizemos na minha cama. Você pode ter mudado de ideia, tudo bem, mas saiba que eu sempre minto quando digo que está tudo bem.

Ei, acabei de me lembrar do nosso sonho. Aquele seu perfume, o mesmo sorriso e os olhos tristes. Aquela garota legal que dá sentido à insanidade, ou será que sou eu que não entendo seu mundo direito?

Deve ser legal fazer doer meu coração várias vezes, você nunca se cansa disso. Da minha parte doerá mais quando não pudermos mais nos tocar, mesmo que seja apenas um sonho que preciso esquecer pela manhã.

GOSTOU? ENTÃO COMPARTILHE...

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

BAIXE SEU LIVRO DIGITAL

Os mais lidos da semana

SOBRE O AUTOR

Todo amor nasce de uma necessidade, e foi por uma necessidade que surgiu o perfil no Instagram @meninajoguese.

O Poeta Selvagem Érico Renato Almeida é Auditor Fiscal da Receita do Estado do Paraná e escreve crônicas poéticas que desconstrói a forma de pensar sobre relacionamentos, além de vídeos para o Youtube e Lives semanais.

O perfil cresce a cada dia com mulheres que encontram seu valor e acrescentam cada vez mais loucura e autoestima em suas vidas.
Portanto, hoje eu tô selvagem e a selvageria já vai começar.

Se inscreva em nossa lista!

Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!