Segundo Round

Enquanto o sol se ajoelha na barriga do mundo perco a ideia de que sempre achei improvável que eu pudesse possuí-la, como marchar para o horizonte e ele seguir ao meu encontro ao invés de fugir com o mesmo desejo. Mas com você foi ao contrário, como uma fantasia invertida você veio ao meu destino sem temer.

Como um faminto diante de um banquete arranco sua roupa sem calma. Salivo de desejo e derramo suspiros quentes no seu pescoço. “Você é minha”, pronuncio baixo e arrastado enquanto seu corpo se abaixa puxando minhas calças e empunhando meu membro o contornando com a língua.

Também quero retribuir o prazer, te deito e inverto o nosso mundo de ponta cabeça, te lambuzando por baixo, você me sugando por cima. Dou uma olhada rápida para apreciar seu prazer de olhos fechados e boca cheia. Enfio dois dedos como um anzol para sentir o quanto você pulsa por dentro.

Um gemido acusa que acertei o seu ponto, e é por lá que estaciono, subindo e descendo até você puxar o ar como se estivesse se afogando no meu oceano.

Um pedido ansioso me comanda: vem!

Traço minha rota com o olhar enquanto procuro espaço entre suas pernas. Você não nota, apenas sente que vou te devorar. Enfio fundo onde tudo está escorregadio e apertado, sua cabeça balança em negativa segurando o grito capaz de acordar o sol durante nossa noite. Tampo sua boca enquanto puxo seus cabelos para trás, me exibindo um pescoço com um convite de onde devo morder.

Não demora muito para as forças lhe fugirem arriando tuas pernas e deixando seu corpo consumido por pequenos choques.

Te viro de costas, te abro as carnes, risco suas costas com as unhas e reivindico no seu ouvido: segundo round.

GOSTOU? ENTÃO COMPARTILHE...

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

BAIXE SEU LIVRO DIGITAL

Os mais lidos da semana

SOBRE O AUTOR

Todo amor nasce de uma necessidade, e foi por uma necessidade que surgiu o perfil no Instagram @meninajoguese.

O Poeta Selvagem Érico Renato Almeida é Auditor Fiscal da Receita do Estado do Paraná e escreve crônicas poéticas que desconstrói a forma de pensar sobre relacionamentos, além de vídeos para o Youtube e Lives semanais.

O perfil cresce a cada dia com mulheres que encontram seu valor e acrescentam cada vez mais loucura e autoestima em suas vidas.
Portanto, hoje eu tô selvagem e a selvageria já vai começar.

Se inscreva em nossa lista!

Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!