Uma cantada barata

Vai parecer mais uma cantada barata para demonstrar que quero te pegar, e apesar de eu querer mesmo, isso não é mais um clichê. Essa noite sonhei que ia ao teu encontro. Você ficou muda ao abrir uma porta enevoada e me pegava só de toalha enxugando minhas partes nuas.

Eu não esperava esse encontro de surpresa, mas confesso que fiquei excitado, e isso você também percebeu pelo volume na toalha. Você tinha uma cara que ia foder minha vida, achei justo fazer isso com você ali. Lembro o quanto desejei por esse momento, meus pensamentos se tumultuam, meus olhos param o tempo junto aos seus, e o calor aumenta. Nossas bocas partem uma para cima da outra, nossos corpos acompanham, e meus braços ganham desejos próprios, arrancando cada peça de sua roupa aos fôlegos e línguas molhadas.

Minha toalha é jogada longe, junto com sua calcinha, levanto seu maxilar com uma das mãos e cravo mordidas em seu pescoço esticado. A outra mão encontra outro lugar molhado, que se derrete pelos seus grandes lábios. Você agarra meu membro, fazendo movimentos de cima para baixo, forçando ele a crescer mais.

De joelhos você me suga com fome e gulosamente. Abro a boca de prazer enquanto puxo seus cabelos guiando sua chupada com uma leve pressão em sua cabeça. Sua língua faz malabarismos em minha cabeça e você pede mais. Quero explodir, as veias latejam, não tenho como esconder isso de você.

Te puxo e te viro, e de quatro te posiciono. Puxo seus quadris para entrar em meu corpo, firme, lento e com força, rebolando, penetrando, sussurrando palavras safadas que incentivam nossos líquidos de prazer. Mordo suas costas com uma dor gostosa e gosto de putaria. Deixo marcas na sua bunda para reforçar a lembrança que eu passei por ali noutro dia. Você grita sem som, jorrando e perdendo as forças, desfalecendo lentamente e cedendo o corpo para um abraço apertado. Te seguro, beijo sua cabeça enquanto arrumo seus cabelos com um carinho sossegado.

De olhos fechados, suados, preciso de outro banho, dessa vez com você. Era apenas um sonho, mas acordei sujo de prazer.

GOSTOU? ENTÃO COMPARTILHE...

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on email
Email

BAIXE SEU LIVRO DIGITAL

Os mais lidos da semana

SOBRE O AUTOR

Todo amor nasce de uma necessidade, e foi por uma necessidade que surgiu o perfil no Instagram @meninajoguese.

O Poeta Selvagem Érico Renato Almeida é Auditor Fiscal da Receita do Estado do Paraná e escreve crônicas poéticas que desconstrói a forma de pensar sobre relacionamentos, além de vídeos para o Youtube e Lives semanais.

O perfil cresce a cada dia com mulheres que encontram seu valor e acrescentam cada vez mais loucura e autoestima em suas vidas.
Portanto, hoje eu tô selvagem e a selvageria já vai começar.

Se inscreva em nossa lista!

Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!